Cenário Político aquecido para o Governo de SP

Pode-se esperar de tudo nas próximas eleições para o Governo do maior estado do país, inclusive nada

Por RALPH MARIANO 02/05/2022 - 16:09 hs

As movimentações dos partidos para firmarem seus pré-candidatos ao Governo de São Paulo estão cada vez mais intensas.

Haddad atualmente lidera as principais pesquisas de intenção de votos, conta com o apoio de Lula, que também aparece à frente nas pesquisas para a disputa pelo Planalto, mas também encara rejeição.

Márcio França parece convicto de que será candidato, correndo por todo o estado, articulando reuniões para a escolha de seu ou sua vice. Aparece inclusive como segundo colocado nas pesquisas.

Tanto para Márcio, quanto para Haddad a luta está em firmar-se como o preferido de Lula e, se tratando de São Paulo fica a dúvida sobre quem o pré-candidato a vice de Lula, Geraldo Alckmin, apoiará de fato: o pré-candidato de seu novo partido, visto que se filiou recentemente ao PSB, ou ajudará Haddad a conquistar o interior de SP, seu principal reduto?

Tarcísio de Freitas apareceu como um quadro técnico competente dentro do governo de Jair Bolsonaro, alheio a princípio a questões ideológicas. Colando sua imagem à do atual presidente, tem inclusive crescido nas pesquisas e atraído a atenção daqueles que, até recentemente o desconheciam.

Rodrigo Garcia, que atualmente ocupa a quarta colocação nas pesquisas, mas tem a seu favor o fato de atualmente estar sentado na cadeira cobiçada por muitos, mas ocupada por poucos é conhecido apenas por quem acompanha a política de perto, tem muito trânsito no interior e cultiva excelente relacionamento com o Legislativo Paulista. Não à toa, enquanto era Vice-Governador, acumulava o cargo de Secretário de Governo, pois é conhecido por sua diplomacia e facilidade de circular entre os mais diversos setores da sociedade. Tem se mostrado avesso à polarização política e dado sinais de desapego a figuras políticas que provavelmente avalaia que o impediriam de decolar, como seu antecessor João Dória.

Enquanto PT e PSB não decidem o que farão para agradar “gregos e troianos” e com isso podem acabar dividindo os votos de seu público, Bolsonaro trabalha para colar a pecha de Bolsonarista em seu pré-candidato e o atual Governador corre por fora, atuando na discrição que é peculiar aos interioranos paulistas e pode acabar surpreendendo.

O cenário está tão incerto que tudo pode acontecer, inclusive a reeleição do atual Governador. Como dizem: “tudo pode acontecer, inclusive nada!”