Fazer render é tão importante quanto guardar!

Por Newton A Medeiros Junior 19/03/2019 - 08:22 hs

Hoje vamos falar de rendimento, uma palavra-chave para quem poupa. Seja pouco ou muito o valor que guardamos precisa render e isso é fundamental!

Existe um pensamento crítico que vamos eliminar da nossa vida a partir desse momento, a frase “rende tão pouco que nem vale a pena aplicar” deve ser apagada da nossa mente.

Não importa o valor disponível para poupar, precisamos fazer esse valor render pois se isso não acontecer na prática você está perdendo dinheiro para inflação. Todo investimento precisa render para ser considerado investimento de lucro. Mas existe investimento que não dá lucro? A resposta é sim, mas deixemos isso para outro dia pois hoje vamos dar opções onde a tendência é de lucro com baixo risco.

Vamos desvendar alguns mistérios e entender algumas palavras que a princípio podem assustar. Risco, Liquidez, Carência, rendimento líquido, Imposto de Renda. Vou resumir:

            Risco: todo investimento tem risco, acredite, até a poupança. Quando falamos de investimento nunca terá zero risco, pode ter o menor grau de risco possível. Isso porque mesmo um investimento com alto risco pode proporcionar excelente lucro.

            Liquidez: é um termo que mede a facilidade de transformar um ativo em dinheiro, exemplos simples: uma casa tem baixa liquidez, ou seja, é difícil de transformar em dinheiro. Uma aplicação em poupança tem alta liquidez pois para transformar em dinheiro basta fazer o saque.

            Carência: é o prazo que um investimento precisa cumprir para que possa ser resgatado.

            Rendimento líquido: é o valor disponível após deduzir todas as taxas e impostos.

            Imposto de renda: a grande maioria dos investimentos tem recolhimento de IR, e como o nome já diz é cobrado imposto apenas sobre a renda, somente sobre o rendimento. Existe uma tabela regressiva que segue abaixo:

           

TEMPO DE INVESTIMENTO

ALÍQUOTA

Entre 0 e 180 dias

22,5%

Entre 181 e 360 dias

20%

Entre 361 e 720 dias

17,5%

Acima de 721 dias

15%


Agora que já sabemos o significado de alguns termos vamos direto ao ponto, como fazer render?

A primeira opção que vem na cabeça da maioria das pessoas é a poupança, investimento tradicional e considerado seguro (baixo risco, alta liquidez, isento de IR) mas devemos nos atentar que a poupança precisa de 30 dias para render, sendo assim se depositar no dia 1 e no dia 25 fizer o saque, não terá rendimento.

Temos como boa opção a aplicação em CDB – Certificado de Depósito Bancário – e essa aplicação é pouco conhecida principalmente para os pequenos investidores. O CDB nada mais é do que um empréstimo para a instituição, de forma simples funciona assim: Eu empresto meu dinheiro ao banco e o banco me paga um rendimento que pode ser pré-fixado ou pós-fixado, cada vez que aplico no CDB recebo um certificado. O CDB pode ter alta ou baixa liquidez (resgate na hora) a depender do objetivo. Esse tipo de investimento tem IR e é considerado de baixo risco. Se torna muito atrativo pois pode rendar mais do que a poupança, mesmo tendo IR. Geralmente pensamos: Se eu empresto o meu dinheiro ao banco o que o banco ganha? Simples o banco empresta aos clientes com uma taxa maior do que a paga no CDB. Outra pergunta comum é: Se o banco decidir não me pagar ou falir? Existe um seguro, o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) que cobre investimentos até 250.000,00 por CPF em até 4 instituições, sendo assim seu investimento está garantido mesmo que feito em bancos menores, e muitas vezes investimentos em bancos menores trazem as melhores rentabilidades.

 

Vamos tratar apenas o CDB pós-fixado, que rende um percentual do CDI (Certificado de depósito interbancário) taxa que serve como referência ou benchmark. Os bancos oferecem da seguinte forma, CDB com taxa de 90% do CDI. Isso quer dizer que o seu investimento vai render 90% do índice CDI, a conta é simples se o CDI rende 10% ao ano o seu investimento vai render 90% disso, vai render 9% ao ano. Por isso é fundamental saber quanto rende o CDI. Quanto mais perto de 100% do CDI melhor, se superar os 100% é melhor ainda!

Em geral os Bancos colocam como investimento inicial no CDB o valor de R$ 1.000,00. Quanto maior o valor investido melhor a taxa assim como o prazo, se deixar mais tempo aplicado maior será o retorno.

Vamos ao comparativo poupança x CDB pós-fixado valor aplicado de R$ 5.000,00

            Poupança valor liquido após 24 meses R$ 5.461,00

            CDB pós-fixado 105% do CDI após 24 meses R$ 5.572,00

*valores líquidos aproximados.

O CDB se torna mais atrativo a depender do valor e do prazo, hoje é possível encontrar taxas de 110, 115 e até 120% do CDI.

Resumo de hoje é: Nunca, jamais deixe dinheiro que pretende guardar parado na conta corrente. Se tem dinheiro na poupança saiba que pode fazer o seu dinheiro render mais. Em outra oportunidade vamos falar de diversificação e fundos como opções em investimentos, existe um mar de oportunidades e com a orientação correta você pode alcançar objetivos que nem imagina.

Ficou com dúvidas? Quer saber se está investindo da forma certa? Entre em contato comigo, será um prazer ajudar.